sábado, 15 de agosto de 2009

Bambolê

Tantos dias que eu fiquei mudo.
Inútil me foi. Nem sei porquê!
Próprio do apaixonado em tudo,
Que ama e sofre, votivo e sisudo,
Oscilando feito um bambolê.



(VFM)

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. que coisa! um bambolê triste? snif...

    ResponderExcluir
  3. Lembrei-me de um poema de Fernando Pessoa:

    "Ah, e ela adivinhasse
    Se pudesse ouvir o olhar
    E se um olhar lhe bastasse
    Pra saber que a estão a amar!
    Mas quem sente muito,cala;
    Quem quer dizer quanto sente
    Fica sem alma nem fala,
    Fica só inteiramente!"

    ResponderExcluir
  4. Não é um bambolê triste, mas a incostância amorosa dum enamorado.

    Pq vc se lembrou desse poema?

    ResponderExcluir
  5. Do poema pelo silenciar do amor...

    E, agora, dessa música pela indecisão, pelo ir e vir. Que é o movimento que o bambolé faz no corpo.

    "O coração diz que ama
    A mente reclama: não sabe o que quer
    Num dia te beijo a boca
    É minha mulher
    Noutro te deixo louca por fazer o que não quer
    Num dia é boca, é pele, é paixão
    Noutro é espera, é relógio e desilusão
    A mente diz que ama
    Mas não é a única que ela quer
    Coração reclama
    Quer alma gêmea, uma só mulher
    Volto para te fazer feliz
    Coração que me diz
    Vou embora pra me fazer feliz
    A mente é quem fala
    Volto de novo
    Você arruma minha mala
    Vou embora coração apertado
    A mente se cala."

    LENINE

    ResponderExcluir